quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Tecem e entristecem...


17 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Gosto demais de imagens assim... diferentes.

Mas com a prática vamos pegando os macetes da rede... pode apostar.

até mais.

Jota Cê

O Profeta disse...

És uma Mulher...linda...

ADiniz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O LOBO de....POTT disse...

Por acaso não tenho grandes desgostos,apenas analiso a vida como acho que deve ser analisada.
Vê lá se pões umas roupinhas nas pedras.....

Boa noite minha amiga

Sereia disse...

Boa tarde.
Linda postagem,por dúvida tento tecer o q é provavel e absoluto por simples comodidade de ñ sofrer...Porém todavia ñ é um troca justa pois o q se deixa p/trás é o acúmulo de fios q mereciam desenvolver novos horizontes e quem sabe a verdadeira felicidade...Bjs

Lilá(s) disse...

Imagens originais e que dizem tanto!
Bjs

Barbara disse...

Tecer.
O destino sob a égide das Parcas (carta da Fortuna do Tarot).
Tecer implica em arranjar os fios , os meandros que a Vida nos dá ou nos força a receber.
Gosto dos desafios que você coloca através de suas postagens.
É pessoa rica em conteúdo e muito!

LR disse...

é linda a imagem, mas o significado não alcancei: os fios do............?

(andaremos tant@s no mesmo entristecimento?)

Pedrasnuas disse...

LR...OS FIOS DO PENSAMENTO

ANDAREMOS TANTOS NO MESMO ENTRISTECIMENTO?

E NÃO ANDAMOS ENROLADOS NA MESMA TRAMA VORAZ DA POBREZA E OUTRAS TANTAS MAIS?

Silvana Nunes .'. disse...

BOM DIA!
Antes de mais nada estou aqui para agradecer a visita e seu comentário tão significativo para mim. Eu ando um pouco ausente, minha conexão anda péssima, lentíssima. Como já havia dito, eu moro dentro de um pedacinho da mata Atlãntica e o sinal aqui é muito dificultoso. Além do mais, com toda essa chuva que tem caído tenho mantido o meu computador desligado por conta dos raios, já queimei uma televisão por causa disso, aqui não tem pára-raios ( agora vê, acostumada com cidade grande, achei que no mato poderia existir um pára-raio - só eu mesma). Espero que compreenda as diversas limitações de quem escolheu viver no mato.
Hoje eu trago uma história bem legal, por um acaso sabe onde fica a tal casa-da-mãe-joana? Então vá até lá conferir.
A medida do possível vou colocando as histórias, com a lentidão de sempre.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... agradece mais uma vez a sua visita esperando que volte sempre.
BOM DOMINGO.
Saudações Florestais !
http://www.silnunesprof.blogspot.com

g disse...

Os fios que tecem a alma, fios que se quebram com o passar dos dias.

JOY disse...

Lidissimas estas imagens.

Até mais
Joy

Virgínia do Carmo disse...

Parabéns... adorei todas as imagens que vi... Reconheço neste lugar o aroma da arte profunda...

A minha admiração!

Beijinho

Nilson Barcelli disse...

Belíssima foto.
Mas não consegui ler a palavra pendurada...
Aproveitando um poema meu, diria que "... se vieres até mim montada nos pássaros, pela urgência de ouvir a tua própria alma, apregoando palavras a calar o teu silêncio de laços por abrir.... etc..."
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Sandra disse...

Saber tecer a vida é fundamental, para não enbtristecemos...
Agradeço o seu carinho no log da Interação de amigos.
muito obrigada pela visita.
Sandra

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Esta foto me lembrou uma música chamada viola enluarada.
Há um trecho que ela diz: "a mão que toca o violão se for preciso faz a guerra..."
E assim uma série de versos de afeto e de coragem vão construindo a canção.

Semana de muitos sonhos para ti.

Fernanda disse...

Lindissimo...
A tua imaginação surpreende...
Gosteiiiiii

:)


Beijo e bom feriado para ti