terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Fim/Começo Velho/Ano Novo

A nossa vida é sempre a girar à volta de uns ponteiros tontos de bêbedos...regulada por uns idiotas que marcam compasso eterno!

O calendário vai mudar de novo....e vamos ser novamente usados por um relógio...
Temos opção?

Não,não temos .
Ou o relógio ou a anarquia!

Se nos afastamos deles,dos ponteiros ,já se sabe como é! certo? ficamos logo perdidos!!!!

- Que horas são?

Que maldição de pergunta!

Aparento sarcasmo? Má disposição? Não me levem a mal!

Querem saber porque estou assim?

Perguntem às horas que me fazem envelhecer!


Um abraço sentido a todos os que me fazem companhia!

31 de Dezembro de 2008

domingo, 28 de dezembro de 2008

sábado, 27 de dezembro de 2008

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

sábado, 13 de dezembro de 2008

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

sábado, 29 de novembro de 2008

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

domingo, 9 de novembro de 2008

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O Drama Acontece

Durante todo aquele tempo ele está dentro dela. É alimentado por ela todos os dias. Os dois numa relação íntima vão criando raízes profundas. Indestrutíveis.
Ela vai sonhando, tecendo mil projectos. Compra roupa,brinquedos...Antecipa a chegada dele.
E a barriga vai crescendo.
É a vida a desabrochar em força .
Ela está feliz. Muito feliz. Desejou-o com tanto Amor! Ninguém consegue imaginar a vontade dela!
Contudo, o fatídico acontece...
No dia, naquele dia em que ela esperava tão ansiosamente por ele... As imagens atropelam-se,
os medos e receios afloram.
E a criança chega morta à vida.
Agora que vai ser daquela mãe?
Que palavras irão consolá-la?
Para qualquer Mulher a compensação de um filho germinado nas suas entranhas, é pensar que ele sai de dentro de si e vai directamente para os braços.
Porém, quando o destino rouba o direito a esse mesmo Amor, que compensação procurar?

sábado, 4 de outubro de 2008

UM MUNDO DE NÃOS



Nunca estão disponíveis quando peço para brincarem comigo. E se salto ou dou cambalhotas em cima do sofá ou da cama , zangam-se comigo para eu parar de estragar as coisas.

Ficam aborrecidos se mexo nos brinquedos caros que me compraram pois posso estragá-los.

Se falo em voz alto ou canto repreendem-me para falar baixo porque ficam muito incomodados com o ruído que faço e os vizinhos podem achar aquilo feio. Mas quando eles discutem não medem o estrondo que provocam.

Enchem a casa de loiças caras que se quebram e ralham-me para eu não lhes tocar.

Estão sempre a insistir para que me calçe quando adoro andar descalço. Também não posso chapinhar nas poças de água quando chove, pois posso adoecer , me sujar ou me molhar.

Quando faço perguntas complicadas dizem-me que sou pequeno. Quando crescer vou entender as suas respostas . Mas se choro ou faço birra então já sou crescido demais para essas coisas.

Quero falar com eles e não me deixam , no entanto estão sempre a conversar entre eles.


Tenho pai e mãe mas ambos têm cargos e andam sempre agarrados a uma cadeira.

Obrigam-me a ler poemas que não entendo,só para se exibirem através de mim. Se por acaso esqueço-os ou hesito ficam logo frustrados e fazem-me sentir mal.

Forçam-me a beijar pessoas que eles conhecem e eu não. E se eu dirigir a palavra a um desconhecido eles sacodem-me o braço para não o fazer.

Eles dizem mentiras e acreditam nelas e julgam que não entendo.

Estão sempre a implicar comigo por eu ser tímida e eles mesmos às vezes refugiam-se nas minhas costas.

Criticam-me por aquilo que faço e esquecem que eles mesmos em crianças faziam exactamente o mesmo e gostavam .

Por tudo e por nada ameçam bater-me nas pernas, nas mãos ou na boca.

Por serem mais crescidos que eu sentem-se mais importantes e donos da própria verdade. Eu nunca tenho razão.

Assinado : Manelito

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

O Menino dos meus olhos


Menino,pssst...empresta-me esse sorriso mel
Permite-me saborear essa tua docura
Enlaça-me nos teus braços
e faz-me esquecer que o mal existe
A tua imagem está tão viva em mim!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

sábado, 13 de setembro de 2008

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

terça-feira, 19 de agosto de 2008

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

7 Prazeres

Sigo a sugestão

1º Amar Muito, ser Amada e ter muita saúde.

2º Terminar o meu romance

3º Desenvolver os meus conhecimentos de photoshop

4ºGanhar o euromilhões para ajudar a família toda e colaborar com algumas instituições de ajuda humanitária.

5º Viajar e fotografar lugares como;
Ilha de Páscoa- Chile
Guilin-China
Nova Iorque-EUA
Parque Nacional dos Glaciares-Argentina
Angkor vat- camboja
Veneza- Itália
Amazonas

6º Pagar o meu apartamento e não ficar devendo ao banco.

7º Comprar uma máquina fotográfica decente e boa,comprar material de pintura que tanta falta me faz ,comprar livros e CDS -filmes e música.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Encontro de estilos


Diferença de mundos ou tempos difíceis?...

Ontem tinha encontro marcado com uma amiga.

Antecipei-me e cheguei mais cedo ,então moderei o meu stresse habitual e senti-me estranha...como um navio desligado. Logo eu que caminho a todo o vapor.

Entrei calmamente no cais. O meu olhar descansou sobre o mar,ali mesmo à minha frente, só faltou tocar, tão sereno que lembrava um rio .
Subitamente veio-me à mente uma paisagem suspensa...os barcos balançando no doce palpitar das águas... um vento vagueva e brincava com os meus cabelos.Havia pouca gente a passear e o sol caía a pique...

A amiga chegou cumprimentámo-nos e dirigimo-nos a uma loja .

Entrámos e ficámos à espera de sermos atendidas. Nessa ocasião reparámos que só havia um empregado a receber os clientes.Era um homem de estatura acima da média,também não era alto. Muito calmo, sereno, pálido...Quase só se escutavam as passadas no soalho escuro e velho.
A voz dele soava em tom baixo.
A loja assemelhava-se a uma fotografia antiga e nós faziamos parte do cenário...
Subitamente lá do fundo uma porta abriu-se e de dentro saíram vários homens .Percebemos que deviam ser aqueles que transportam cargas.

Rimos porque todos eles aparentavam a mesma apatia, o mesmo mundo distante, o semblante antigo...sonâmbulos com aparência de acordados...

Quando saímos experimentámos a sensação de regressarmos ao mundo real.