quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Os muitos "eus" que se escondem dentro de nós...


9 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo!! abraços,chica

Manuela Freitas disse...

Interessante visão do que somos, sempre com muitos «eus», sempre em luta pela supremacia de um EU!
Grande abraço,

Fê-blue bird disse...

Todos se fundem e se completam, o pior é quando entram em contradição.;)

beijinhos amiga

Evanir disse...

A Melhor mensagem de Natal é aquela que
sai em silêncio de nossos corações e
aquece com ternura os corações daqueles
que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.
E mesmo com todos os obstáculos que a vida nos prepara,
conseguimos superar as barreiras e passar
para este outro ano que com certeza será melhor.
Meu muito obrigada pelo seu
carinho tão importante na minha vida.
Deus abençoe seu final de semana espero
que esteja curtindo minha postagem de Final de Ano.
Beijos no seu coração e na sua alma,Evanir.
Vivendo a cada segundo os Dias que antecede
o Natal como se fosse o último da minha vida.

EDER RIBEIRO disse...

Somos essas convergências de seres sem nunca chegar a ser. Bjos.

Lilá(s) disse...

Por vezes tenho longas conversas com os meus "eus" principalmente quando andam todos baralhados...depois ficam calmos...dá-me ideia que ainda os domino.
Bjs

O Profeta disse...

Inventei a ironia numa toada de vento
Roubei as asas a uma gaivota azul
Colei-lhes um poema cheio de penas
E enviei-o para uma tonta do sul

Inventei um mar numa bola de sabão
Roubei uma corda forte e boa
Atei um rol de mágoa à mesma
E afoguei-as nas águas de uma lagoa

Bom fim de semana


Doce beijo

Sensibilidade a navegar com poesias disse...

Belo Blog,parabéns...te convido a me visitar...voltarei

Nilson Barcelli disse...


EUS

Incontáveis são os eus que nos habitam.
Diferentes os meus dos teus,
mesmo não os podendo comparar,
porque, tal como tu, por dentro não me vejo.

Vejo-te quando te imagino ou sinto,
mas desconheço qual de mim te vê.
Não sei qual de ti me imagina e sente,
nem sei qual de mim tu vês.
Se eu chamar de alma
àquilo que em nós imagina e sente,
as almas que temos são muitas.
Tantas almas quantos os eus,
que lutam entre si continuamente
para monopolizarem o imaginar e o sentir.

Quando nos tocarmos, vamos contar
quantas das nossas almas se beijam
e, só então, saberemos se é
com amor que os nossos eus se entrelaçam.


Escrevi-o em 2009 e acho que "diz bem" com a foto...

Um beijo, querida amiga.