quinta-feira, 23 de abril de 2015

Abril, que seja um peixe fresco, bem fresco a saltar da rede para o mar!


No fundo, no mais fundo 
nas entranhas do funil 
há uma boca altifalante
que anuncia o fim do mundo

No fundo, no mais fundo
dos dias coxos e curtos
há uma boca altifalante
que morde o apocalíptico surto

No fundo, no mais fundo
do roubo sem piedade e sem dó
há uma boca altifalante 
que conhece um povo que morde o pó

No fundo, no mais fundo
a matança já começou
há uma boca altifalante
a dizer que muito sangue jorrou!!!
                              PN

4 comentários:

✿ chica disse...

Sempre lindas tuas poesias.Intensidade nos mostras,aliada à beleza! Gosto muito! bjs, bom te ler! chica

JB disse...

Que haja sempre flores de abril dentro de ti!

Beijinhos, muitos! :)

Fernando Guilherme Lopes da Silva disse...

Belíssimo poema!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa a noite, do roubo sem piedade e sem dó na saúde, educação e nos direitos sociais conquistados por Abril, vamos continuar a ser meros números para os capatazes submissos, comandados pelo presidente da batata doce que arruinou com economia portuguesa.
AG