sábado, 26 de março de 2011

O namoro

25 comentários:

Manuela Freitas disse...

Olá pedras,
Namoro nos tempos medievais? Está muito interessante, gosto da suavidade da cor! Penso que namorar é muito bom em todos os tempos!
Pela tua grande criatividade, que vou acompanhando tens no meu blogue um selo para ti. Passa por lá se quiseres.
Beijinhos
e um bom fim-de-semana (aqui Chove)
Manu

Eva Gonçalves disse...

Já tinha saudades de passar por cá e ver as maravilhosas criações que apresentas. Beijinhos e bom fim-de-semana.

AC disse...

Pedras,
Gosto, mas para mim falta-lhe a linguagem dos olhos. Ou será que é intencional?

Beijo :)

g disse...

Gosto da delicadeza.

Fê-blue bird disse...

Um namoro medieval, não, porque estão muito juntinhos, talvez uma amor campestre :D
Um traço muito delicado. Lindo!

beijinhos amiga

Simone Martins2 disse...

Gostei, mas senti as cores muito frias, talvez porque esse amor nao seja real? Senti que ele a abraça como que querendo prende-la junto de si, mas e o rosto, me passou um misterio, pois sera que ela nao tem identidade?Sentimentos?E ele vira o rosto, talvez para nao mostrar os seus sentimentos? Gostei dos traços, mas ainda acho que um namoro de fachada, sem muito envolvimento por parte de ambas as partes...Amei

Mz disse...

É bonito prolongamento dos braços dos namorados, como se a distância os separasse e os braços a acompanhassem.

bjs

Samaryna disse...

Pedras, seria a tua intensão, ao pintar a personagem feminina sem rosto passar a mensagem que somente o amor nos significa? Deixo o meu afeto.

Nilson Barcelli disse...

Muito bom.
Gostei imenso. És mesmo boa nos desenhos. E não só...
Beijos.

JPD disse...

A cumplicidade, a intimidade.

Boa paleta: simples, eficaz.

Bjs

Parapeito disse...

:)) O AC escreveu : "falta-lhe a linguagem dos olhos."
Mas não falta a linguagem das mãos:))
Gosto de mãos...do toque da pele e deste namoro em tons de azul...
brisas doces para ti nina***

BLOG DO PROFEX disse...

Gostei do namoro. O toque e a presença do outro, interpenetrando as auras. É suficiente.

Estou a estou indicando para um MEME
Literário. A galera quer conhecer seu gosto literário. Passe por lá...
Grande abraço!

Lilá(s) disse...

Gosto dos tons desse namoro...
Bjs

Perola disse...

Que obra prima maravilhosa.
Perfeito!!!
Parabéns minha menina.
Bjsssssssssssssssssssssss

José Sousa disse...

Oi querida Pedrasnuas!
Mais um lindo desenho! Adoraria poder pintar assim! Lindo dom!

Vai até o meu blogue mais novo:

http://www.transpondo-barreiras.blogspot.com

Um beijo em teu coração.

Antes Prefiro disse...

p'ra mim, a ausência de ambos os rostos é muito interessante. há aquela expressão, "revermo-nos nos olhos de alguém", mas aqui não há isso. ficam apenas os gestos, porque há mais do que uma maneira de conhecer e amar alguém. um belo trabalho!

Tatiana disse...

Belíssima a sua criação...
Sou sua fã...Admiro todas as suas artes!
Obrigada por suas palavras e participação referente a Campanha de Doação de medula óssea. Nossa união pode ajudar a salvar mais vidas!

Beijo

Vanuza Pantaleão disse...

Não posso namorar. Estou muito gripada.
Atchimmmmm!!!
Falo sério, amiga. Mas adoro suas pinturas assim, meio cubistas, abstratas, surrealistas. Enfim, nada de classificações.
Sem beijos,
Com muito afeto!!!

Conceição disse...

Olá amiga!
Adorei a cumplicidade dos teus personagens, o teu trabalho está espetacular, tem o seu quê de essência. Ah, e tinhas razão, o curso ia começar a fazer com que visse as coisas de outra forma, acho que é o que começa a acontecer.Por incrivél que pareça, fui para lá por causa da pintura e tenho feito tudo menos pintar...mas tem valido a pena a experiência e a aprendizagem, é claro. Não tem sido fácil, mas também não tem sido impossivél! Beijinhos

Sofá Amarelo disse...

Extensível ao Dia do beijo, que é hoje...

Beijinhos!!!

Fernanda disse...

Gosto muito deste!
Sereno!

Beatriz disse...

...

Beatriz disse...

... me sugiere suavidad, una cita sin prisas, a fuego lento, encuentro de almas
Un saludo

JB disse...

Pedras,

Gostei imenso deste "namoro" e, embora adore a linguagem dos olhos,... há realmente quem os tenha no coração, nos outros sentidos, e eis o que me surgiu ao olhar para esta magnífica ternura:
O tempo não cabe em nós. As nossas janelas foram projectadas nos olhos das mãos. São grandiosas as leituras que fazemos num fundo pincelado com tinta do coração. São jardins as histórias que nascem nas folhas do nosso papel. São searas doiradas dançando a melodia tocada pela brisa que nos envolve. São rostos perfeitos que traçamos nas impressões da pele. São olhares que descodificamos tão nitidamente. São sorrisos ouvidos com os olhos do coração… São palavras macias que se desenham nas areias de uma praia azul. Ouvimo-las e guardamo-las como pérolas. Um mundo desenhado com a cor da palma das nossas mãos.

É uma arte para ser sentida, esta tua tela! Adorei, pedras!!!

Beijinho
(Não sei se estou para cá ou para lá, em termos de blog, mas hoje não resisti a comentar :))

argumentonio disse...

em azul, ao toque, uma sacralização da melancolia criativa do enamoramento, da aproximação e da afectividade partilhada!

os rostos podem ser de todos, de cada um, os nossos!!

como se de um conhecimento independente de reconhecimento!!!

;_)))