sexta-feira, 15 de abril de 2011

A morte de um filho...

Acrílico/guache sobre papel

19 comentários:

Samaryna disse...

Pedras, agora eu entendi a dor e as lágrimas. A perda de um filho é um pedaço de nós que se foi. Deixo o meu afeto.

Manuela Freitas disse...

Olá Pedras Nuas,
Tenho vindo aqui ver os teus trabalhos, porque os aprecio, mas entro e saio em silêncio! O meu estado de espírito anda por aí...para o calado!...
Mas este pelo título, sobressaltou-me...há bem pouco tempo fui confrontada com uma perda...foi como se fosse um filho...foi um sobrinho...de forma muito violenta!...
Beijos, o teu trabalho é muito bom!
Manu

Simone Martins2 disse...

Bom dia, a morte sempre nos deixa um pouco triste, mas sabemos que faz parte da vida, precisamos morrer, para depois, renascer...Acredito que um dia, iremos habitar um mundo alem desse, nao sei se encontraremos e nos lembraremos de pessoas queridas, mas acredito em reencaarnação, em vida pós morte...Tudo esse misterio me fascina e me faz ver a vida com a alma mais tranquila...Bjin e estou alegre minha linda, pois sei que meu pai esta num lugar bbonito e tranquilo...Fique com DEUS!

Tatiana disse...

Bom dia e parabéns pelo dia do mundial do desenhista.

Eu já imaginava que o seu desenho guardava na parte não mencionada algo forte! Penso que a dor de perder um filho seja gigante!

Um abraço carinhoso

✿ chica disse...

Triste!beijos

Eva Gonçalves disse...

O quadro remete para a dor da perda e das memórias repetidas. Gostei. O teu trabalho reflecte provavelmente, as dores que te rodeiam. No post anterior um fragmento também resguarda o observador da razão da dor que agora revelas... e o impacto é ampliado... :) Beijinhos

a disse...

Uma dor arrancada de dentro.

Beijo.

Petrus Monte Real disse...

A ligação dum pai ao filho está sempre no lado esquerdo do peito, o lugar da vida, muito bem representado na imagem... Agora, esse lugar sangra...

Não sei como se poderia representar melhor a dor pela perda de alguém que se confunde com a nossa própria vida?!

José Sousa disse...

Querida Pedras!
Sempre adorei desenho! Daria tudo para saber desenhar assim como também o fazes! Lindissimo!

Um beijo e bom fim de semana.

AC disse...

Ah, a razão era esta!
Quiseste testar os teus seguidores, não foi? :)
Olhando agora para os dois posts, tudo faz sentido. Parabéns, pedras!

Beijo :)

Ana disse...

Oi

Podes ser uma distraída de todo o tamanho, mas uma coisa é certa, desenhas como ninguém...ou como poucos.
Não sei qual deles (dos rabiscos) escolheria para a minha prenda de aniversário (aquele q esqueceste).

Beijo

Fernanda disse...

Foste tu que pintaste??
Gosto dos tons...dá a dimensão do sofrimento.

Gostei!
:)

Nilson Barcelli disse...

A morte é sempre triste.
De um filho, só pode ser muito trágica.
A tua pintura parece ter sido inspirada numa tragédia...
Gostei muito, querida amiga.
Beijos.

Lilá(s) disse...

O título, sobressaltou-me!!
Bjs

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

A morte de um filho,
é também a nossa morte...

Que haja em ti sempre sonhos
por sonhar.

Eu sei que vou te amar disse...

Minha linda, sei que ando distante...um pouco longe de mim :)
Como sempre os teus trabalhos sao de uma beleza imensa, de uma sensibilidade extrema e incomparavel...a dor nao se espelha, tal a perda de um filho que ficara sempre no intimo de quem chora por ele.
Um beijo sem perdas

Parapeito disse...

só alguem como tu...para conseguir pintar dor...
Não me parece que seja pintado com tinta...mas antes com água e cloreto de sódio.
Um abraço e brisas doces****

Sofá Amarelo disse...

Há várias formas de representar um drama, esta é muito elucidativa...

Muitos beijinhos!!!

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa disse...

A morte de um filho é uma dor que nos dilacera a alma, deixando-nos transformados numa mortalha, num ser à deriva.
Beijo.