sábado, 9 de outubro de 2010

Voltei a ficar sozinho ...

14 comentários:

Lídia Borges disse...

Uma sequência de imagens e palavras que fere como um punhal.
Ninguém é totalmente inocente!

A solidão na infância é um facto a que muitos são alheios. Por este "grito" eu a felicito, hoje.

L.B.

AC disse...

Sozinho?! Com uma mãe galinha como a Pedras?! Ná, não acredito nisso! :))

Beijo :)

Luís Coelho disse...

Há quem diga:
-Mais vale só que mal acompanhado.
Dir-lhe-ei:
- Gosto de estar sozinho e fazer os meus pensamentos voarem.
Quantas vezes o barulho não nos deixa pensar e sermos como somos.

O Profeta disse...

E eu, neste palco
Pinto mil e uma emoções
Luzes, as pancadas de Molière
O aplauso, tantos sorrisos, contradições

Inquieta alma esta
Vivendo entre a o amor e a dor
Voando para além do sonho
Nas asas de um viajante Açor


Doce beijo

Hanah disse...

Adorei conhecer seu espaço,

sensibilidade poética pura....

grata pela visita !!!

Angela Reis (Luna Luz) disse...

Agora não mais, vim te levar para passear, vamos? Há uma escada que dá para o infinito, vamos caminhar nas nuvens, é dia de domingo, vamos, o sol está sorrindo =)

bjos no coração

al disse...

Até quando?
Beijos

EDER RIBEIRO disse...

Uma infância abandona é pasto para a violência. Bjos.

Lilá(s) disse...

Ok, vamos jogar a bola...eu fico á baliza...
Bjs

uminuto disse...

intensa
expressiva
entra-nos pelos olhos e atinge-nos o coração

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Toda vez que venho aqui, sinto a intensidade das suas fotos.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Vanuza Pantaleão disse...

Oi, querida!
Estava lendo a sequência das peripécias do menino e achei tudo muito interessante. Amanhã, que é feriado aqui, venho comentá-las. Pois é, né, Pedrasnuas, as mães, muitas vezes são muito duras com os filhos e se sentem muito culpadas. Em contrapartida, os filhos se isolam e sofrem uma solidão triste e doída, podendo, em casos extremos, ficarem até deprimidos.
Uma abordagem psicológica muito apropriada. Parabéns!

Beijinhos mil nesse coração!!!

AnaMar (pseudónimo) disse...

Uma imagem de solidão amansada pelos companheiros do nosso imaginário. Duma forma ou doutra, todos ficámos sózinhos, por instanates. O importante é que não se tornem em momentos repetidos.
Um beijo
(dois beijos)

Manuela Freitas disse...

OLÁ QUERIDA AMIGA,
ESTAS VÁRIOS VERSÕES DAS FOTOGRAFIAS E DOS TÍTULOS QUE LHES DÁS SUSCITAM TAMBÉM UMA DENÚNCIA A SITUAÇÕES PORQUE PASSAM AS CRIANÇAS, ESTÁS COMO QUE A DAR-LHES VOZ!
BEIJINHOS,
MANÚ,